G1 – Após noite de protesto, Plano Diretor de SP é aprovado em 1ª votação – notícias em São Paulo

O projeto do Plano Diretor Estratégico (PDE) foi aprovado em primeira votação na Câmara Municipal de São Paulo na tarde desta quarta-feira (30).

Após protesto de movimentos sociais contra a demora na votação do PDE, que terminou em confusão na terça (29), os vereadores retomaram a análise do texto em sessão extraordinária.

A tramitação do projeto foi suspensa na noite de terça porque os vereadores avaliaram que é melhor aguardar a publicação de emendas ao texto (algumas com mais de 500 páginas), em vez de tentar ler cada uma das peças em plenário.

Os partidos decidiram prosseguir as votações sem emendas nesta fase. “Há um acordo feito inicialmente na Comissão de Política Urbana, do presidente Andrea Matarazzo, que nós apresentássemos as emendas somente entre a primeira e a segunda votação. Ontem, nós mostramos as emendas ao lider do governo ao presidente da Casa com o compromisso de nós aprovarmos elas hoje [quarta]”, afirmou o vereador Floriano Pesaro (PSDB). As emendas serão apresentadas pelo PSDB na segunda votação.

viaG1 – Após noite de protesto, Plano Diretor de SP é aprovado em 1ª votação – notícias em São Paulo.

Governo 2.0

“Participação 2.0” refere-se ao uso da Internet e das tecnologias de mídia social para envolver os cidadãos com o governo. Nos Estados Unidos, iniciativas de engajamento público em nível federal tem recebido maior atenção, contudo, na maioria das vezes, os cidadãos não se dirigem a uma agência federal para discutir suas preocupações. A maioria deles se preocupa com assuntos do governo local – eles querem ser ouvidos e incluídos em processos de decisão em sua vizinhança.

Ferramentas da web 2.0 permitem o desenvolvimento do Governo 2.0, definido como o uso de aplicativos de mídia social para aumentar a participação, transparência e a colaboração interinstitucional no setor público. Por sua vez, o Governo 2.0 está dando origem à Participação 2.0.

No núcleo dos processos de Participação 2.0 estão os canais de mídia social, que permitem interações bidirecionais entre agências governamentais e cidadãos. Com isso é possível postar comentários em blogs e  Facebook Fan Pages, utilizar o Twitter para fornecer informações e notícias e utilizar conjuntos de dados públicos com outros aplicativos, como o Google Maps.

Organizações governamentais também estão desenvolvendo sites que permitem que os cidadãos identifiquem e alertem os gestores para problemas ou déficits em sua comunidade, como o CitySourced. Da mesma forma,  hackers cívicos e entusiastas estão desenvolvendo aplicações que fazem uso de dados divulgados pelo governo, por exemplo, London Data Store, ou que estimulam o engajamento mais amplo na comunidade como Localocracy.

Alguns governos estão usando tecnologias de Participação 2.0 para envolver os cidadãos na identificação, organização, priorização e solução dos problemas que o governo não tem recursos ou conhecimento para resolver por si mesmo. A responsabilidade é, portanto, distribuída com os cidadãos que podem participar ativamente e ajudar a melhorar a vida cívica de suas comunidades.

Participação 2.0 compreende as seguintes atividades:

  • informar – provimento de trocas multidirecionais imediatas entre os cidadãos e o governo
  • consultar – recebimento e resposta a comentários, preocupações, solicitações e reclamações
  • incluir ou incorporar – envolvimento do público no processamento de informações, dando aos cidadãos maior influência sobre a tomada de decisão. Exemplo: projeto Wikiplanning ™ em San Jose, Califórnia
  • colaborar – envolvimento de um conjunto mais amplo e mais diversificado de moradores no trabalho de estabelecer bairros mais seguros, por exemplo.
  • empoderar –  colocação do poder de tomada de decisão nas mãos do cidadão, sendo este o mais alto nível de participação dos cidadãos

– leia mais em  http://www.2i2p.ba.gov.br/categorias/crowdmapping#sthash.YLlIWElQ.dpuf

Concurso – Centro Adminitrativo do Município de Belo Horizonte | concursosdeprojeto.org

O presente concurso visa a selecionar as melhores Propostas de Arquitetura, em formato de Estudo Preliminar Estudo Técnico Preliminar, apresentadas por pessoa física individualmente ou em equipe, por meio da identificação de um coordenador ou jurídica de direito privado, não integrantes da Administração Pública, Municipal que apresentem propostas de Estudo Preliminar para o Centro Administrativo Municipal.

via Concurso – Centro Adminitrativo do Município de Belo Horizonte | concursosdeprojeto.org.

Inovação sem fronteira: a economia do conhecimento » CONSECTI

Na Economia do Conhecimento, o capital intelectual ou intangível terá uma contribuição crescente e eventualmente dominante. O novo modelo de produção e distribuição está alicerçado no livre acesso à informação; na educação, criticamente em ciências e engenharias; e na capacidade de criar e inovar coletivamente, em redes unindo universidades, institutos de ciência e tecnologia C&T, escolas, empresas e indivíduos.

viaInovação sem fronteira: a economia do conhecimento » CONSECTI.

Sistema Financiar

O Programa de Bolsa de Iniciação Científica e Tecnológica Internacional (BIC Internacional) tem por objetivo apoiar estudantes de graduação de instituições interessadas no intercâmbio científico internacional.

Este Programa prevê auxilio para graduandos mineiros, que queiram desenvolver atividades de pesquisa científica no exterior, assim como para candidatos de outros países com propostas a serem desenvolvidas em Minas Gerais.

viaSistema Financiar.

Proposta de trabalho IDB – DOCUMENTO-IAB-CAUBR.pdf

No contexto de mudança na Lei de Licitações, que regula a contratação de obras públicas,cujarevisão ora se encontra em tramitação no Congresso Nacional, as entidades nacionaisde Arquitetura e Urbanismo–IAB, FNA, ABEA, AsBEA e ABAP–juntas com o CAU/BR ecom o apoio das entidades nacionais de Engenharia e Agronomia–CONFEA, FEBRAE,AEP.SP e ANSEAF–manifestam ao Parlamento brasileiro e ao Governo Federal suasseguintes ponderações quanto ao encaminhamento da matéria

viaProposta de trabalho IDB – DOCUMENTO-IAB-CAUBR.pdf.